Vigilância socioassistencial: veja como Pombal monitora sua rede

Vigilância socioassistencial: veja como Pombal monitora sua rede

Tempo de leitura: 1 minuto

Pombal é uma pequena cidade no sertão da Paraíba. Com pouco mais de 30 mil habitantes, a cidade conta com 5 equipamentos em sua rede socioassistencial. Contudo, até meados de 2018, ainda não contava com a vigilância socioassistencial.

Ou seja, não era capaz de monitorar e diagnosticar os principais desafios e necessidades das famílias, serviços e programas de forma territorializada. O problema é que estratégias como essa têm sido priorizadas pelo Ministério da Cidadania e secretarias estaduais. Devido ao potencial de qualificar as atividades do SUAS, em alguns casos, repasses chegam a ser condicionados de acordo com a situação da vigilância.

Hoje, desde que Pombal deu o primeiro na implantação da vigilância socioassistencial, em outubro de 2018, muita coisa mudou. Não é só essa estratégia que passou a constar na cidade, mas os demais serviços que ganharam em qualidade, impacto e eficiência.

E no seu município, como anda a vigilância socioassistencial? Sua cidade já conta com um diagnóstico socioterritorial? Sua equipe de gestão é capaz de mapear a rede socioassistencial, levando em contas as situações de vulnerabilidade identificadas, por exemplo? Ou, até mesmo, contabilizar os casos de determinadas situação de violência ou benefício, por tipo?

Se você quer saber como Pombal e outras mais de 100 cidades implantaram essas estratégias e se tornaram capazes de responder esses questionamentos, elevando a outro nível a capacidade de toda a rede socioassistencial, este é o material que você está procurando. São algumas páginas que irão inspirar sua atuação!

Baixe para conhecer mais a história de sucesso de Pombal - PB em implantar uma vigilância socioassistencial atuante e eficiente!

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.